Nas últimas postagens abordamos muito sobre a alimentação e como ela pode influenciar nos treinos e nos seus resultados. Entretanto, é muito comum vermos pessoas realizando exercícios aeróbicos em jejum com o objetivo de queimar mais gordura. Vamos entender mais sobre esse assunto e descobrir as vantagens e desvantagens de fazer esse tipo de exercício.

 

A ideia principal de se realizar aeróbico em jejum é que, por conta da falta de alimentação, os níveis de glicose no sangue estão baixíssimos, então realizando atividades aeróbicas o corpo teria que utilizar mais gordura como forma de energia para sustentar o exercício. A ideia é interessante, porém temos que levar em consideração alguns pontos.

VOLUME E INTENSIDADE: Esse tipo de exercício deve ser feito com uma intensidade baixa, caso contrário entraremos em catabolismo. Na literatura as recomendações ficam em uma média de 30 a 45 minutos de duração com uma intensidade entre 60 e 70% da frequência cardíaca máxima, visando maximizar a oxidação de gordura e evitar o catabolismo. A frequência normalmente é de 3 a 5 vezes por semana.

QUEM PODE FAZER: Essa forma de se exercitar só deve ser praticada por quem é bem condicionado aerobicamente falando. Isso porque quanto melhor for seu condicionamento, mais eficiente se torna seu organismo para oxidar gorduras. Então nos casos das pessoas bem treinadas, o aeróbico em jejum tende a dar certo, pois mesmo com a glicose baixa o corpo será capaz de utilizar a gordura como forma de energia. Entretanto, se a pessoa for destreinada e quiser praticar esse tipo de exercício, ela só trará prejuízos para sua saúde. Isso porque o corpo de uma pessoa destreinada não é tão rápido no processo de utilização de gordura como fonte de energia, então o corpo utilizaria glicose para ter energia; como a glicose estará baixíssima por causa do jejum, a chance da glicose descer abaixo do limite mínimo é enorme. Resultado: HIPOGLICEMIA, causando tonturas, náuseas, vômitos e desmaios.

CONCLUSÃO: Como podemos observar, realizar aeróbicos em jejum tende a oxidar mais gorduras, desde que seja realizado corretamente. Na minha opinião, existem outras formas de maximizar a queima de gordura sem precisar usar essa estratégia tão “agressiva” para o nosso organismo. Então se você é um atleta e faria certos sacrifícios para diminuir drasticamente sua gordura corporal, essa estratégia pode ser válida. Porém, se você só deseja melhorar a estética, não recomendo essa estratégia pelos malefícios que isso pode causar a sua saúde. Acho que você pode ter os mesmos resultados com mais segurança simplesmente treinando corretamente e se alimentando de forma saudável.